Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças!
Sábado, 26 de Fevereiro de 2005
A voz
Uma das coisas mais belas que um ser humano pode ter é a voz.
Lembremo-nos que todos os grandes actores sobressaem, embora muitas vezes não se dê por isso, pelo timbre da voz.
E qual o efeito de uma bela voz ao telefone?
Além de ser agradável, pode ser muito apelativa, encantadora, sedutora!
E na rádio?
Quantas pessoas não se deixaram apaixonar por uma oralidade bem colocada, com as pausas nos sítios certos?
E uma bonita voz a cantar?
(Às vezes pode não ser muito bonita, mas ter um não sei quê que nos toca, que nos perturba, que nos cativa, que nos faz sonhar).
E os murmúrios de carinho, de ternura, de paixão, de êxtase?
E aquelas sonoridades de excitação libidinosa? Ai, minha mãezinha!!!!
E o que disse aplica-se a vozes masculinas ou femininas, com intensidade mais forte ou mais branda, com uma frequência mais grave ou mais aguda, com um sotaque mais ou menos acentuado, a falar um idioma conhecido e compreensível ou totalmente ignorado.
Pensem nas vossas experiências e digam se tenho ou não razão.

Mas...há sempre um mas...quando as vozes são, pelo contrário, desagradáveis, com um timbre ou uma frequência irritante, com um sotaque aterrador, com espasmos asmáticos ou rouquidões repelentes e anasalamentos doentios.
E quando começam a cantar com uma voz desafinada, atingindo o cúmulo quando ouvimos aquele timbre de cana rachada que nos faz querer fugir a sete pés?
E quando os tais sons libidinosos são substituídos por arfares de asfixia? Por assobios vindos da traqueia?
E quando essas vozes não se calam, quando martelam intensa e sadicamente os nossos ouvidinhos, quando queremos fugir e não podemos?

Acho que devia haver cursos de formação para melhorar a voz, como há exercícios e dietas para melhorar o corpo, trabalho mental para modelar as capacidades intelectuais, medicamentos para matar as doenças e fazer renascer a saúde.

Há pessoas que melhor estariam se fossem mudas.
E muitos de nós bem gostaríamos de ser surdos em muitas ocasiões.

Se tiverem uma voz feia e desagradável, façam o favor de teclarem no MSN ou no Yahoo, ou mandarem cartas ou faxes (parece que o telex já morreu) em vez de telefonarem.
Façam como eu: nunca canto em sítio onde possa ser ouvido. Só no duche! E, mesmo assim, a própria água foge pelo ralo abaixo, rápida e queixosa. Nunca ouviram a água a queixar-se? É porque cantam bem!


publicado por António às 17:45
link do post | comentar | favorito
|

2 comentários:
De leonoretta a 2 de Abril de 2007 às 19:40
Mais valia que algumas pessoas fossem mudas. Que maldade!tenham ou não boa voz deia-los falar coitados.as sugestões que das para quem tem voz feia também são muito duras, mandem sms, mas não telefonem. Francamente.
De qualquer modo há cursos de colocação de voz, o da Maria matos é um deles e muito famoso em Lisboa não so para os artistas mas para quem tenha dinheiro para frequenta-lo.

relativamente ao comentario anterior, senao és tu a inventar a teoria não podes mandar as explicaçoes dos seus fundadores à fava. acho eu.

abraço da leonoreta


De António a 2 de Abril de 2007 às 19:55
Querida Leonor!
Não te reconheço.
Onde está o teu sentido de humor?

Quanto aos inventores das teorias que dizem que aceitar que um papel existe é um acto religioso, mando-os à merda quando quiser porque estão a ofender a minha inteligência.
Que vão inventar como resolver o problema do aquecimento global que é muito mais importante.
Provavelmente sugeriam a construção de muito frigoríficos gigantes...ah ah ah

Beijinhos


Comentar post

Mais sobre mim
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Posts recentes

"Eu sou louco!" no Sapo

Explicações no Ribeiro

Diplomacia no Rivungo

Excursão a Zamora

Na Kaiserstrasse

Miguel Ângelo (a casa de ...

Miguel Ângelo Pereira

No norte de Itália

No campo de trabalhos

Seis meses de vida

Fórmula 1 na Boavista

Um filme em Zurich

Uma turma difícil

O anúncio

Sonhos e realidade

Cena de caça no Bambangan...

Em Las Palmas

Lutador anti-fascista

O fármaco milagroso

Uma noite em Londres

Arquivos

Março 2007

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Outros blogs
Pesquisar neste blog
 
Visitantes

Free Hit Counter