Irreverência, humor, criatividade, non-sense, ousadia, experimentalismo. Mas tudo pode aparecer aqui. E as coisas sérias também. O futuro dirá se valeu a pena...ou melhor seria ter estado quietinho, preso por uma camisa de forças!
Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2005
O meu pai
Hoje é um daqueles dias em que o passado nos vem à cabeça. As memórias estão adormecidas no subconsciente mas há coisas que as fazem acordar e voltar a ser presente.
No dia 23 de Fevereiro de 1917, já lá vão 88 anos, nascia no Porto um bebé a quem deram o nome de Fernando.
Quasi 33 anos depois, esse senhor seria pai pela primeira vez (que eu saiba...).
E quem é hoje o rebento do Sr. Fernando?
Eu, pois claro!
Falecido em 1993, nunca chegou a saber de muitas das maluqueiras que o filho fez ao longo da vida. Sempre lhas escondi. Sempre temi o seu juízo severo. Ainda bem! Acharia que não fora para isso que me educara, como costumava dizer em tom de censura.
Os filhos raramente são aquilo que os pais ambicionaram e esperavam que eles fossem. Eu não fui, nem sou, excepção.
Mas hoje não me apetece escrever. Prefiro antes pensar. Recordar. Sozinho.
Hoje estou mais virado para rever flashes da vida desse homem querido que me gerou e me ensinou o significado de palavras como honra, dignidade e honestidade.
Slides da nossa vida em conjunto, da família, dos carinhos, das chapadas, dos conselhos incessantes, das tiradas filosóficas, das manias e loucuras (eu tinha de sair a alguém, não é verdade?), da dificuldade em me ver como um adulto...eu, o seu filhinho.
Imagens gravadas a fogo da sua morte dolorosa. E o profundo vazio que deixou dentro de mim. Para sempre.
Mas enquanto eu for vivo, ele também o será! Depois, não sei...talvez morra comigo. Definitivamente.
Desculpem, mas vou fechar isto. Estou a chorar e não quero que ninguém veja.
Boa noite!


publicado por António às 22:47
link do post | comentar | favorito
|

6 comentários:
De www.http://bomdiaisabel.blogspot.com a 7 de Março de 2007 às 19:33
Confesso que estou disposta a ler todos os teus posts como se tivessem sido feitos a partir de hoje. Daí não ter usado um verbo que indicasse repetição. Sinto-me a ler um novo post. E fiquei com as lágrimas nos olhos. Esses teus afectos estão tão vivos, tão sólidos, tão do teu lado de dentro e tão doces que senti o orgulho, o infinito amor, a gratidão que tens por esse homem a quem deves a vida. Sinto-me como tu. Ou não fôssemos da mesma geração!
Beijinhos, António!


De António a 7 de Março de 2007 às 21:25
Obrigado, Isabel!


De guidar@netcabo.pt a 9 de Março de 2007 às 23:43
António,

Gostei, gosto sempre, gosto muito das tuas Crónicas!
Enquanto o teu filho for vivo e o filho dele e o filho do filho, ficará a memória!
Há aqui uma característica diferente de muitas famílias, é que vocês herdam memórias e escrevem-na. Todos tem as suas histórias, os seus segredos e medos, amores e dores, como não as escrevem, não as contam, a memória dilui-se como o fumo de um cigarro que todos lhe sentem o cheiro e depois, como por magia, tudo desaparece.
Comovente mas, belíssima forma de homenagear o pai.
Parabéns

GR





De António a 9 de Março de 2007 às 23:55
Obrigado, Guida!
Beijinhos


De leonoretta a 1 de Abril de 2007 às 21:23
ninguém viu antonio. mas creio que toda a gente sentiu.
sao poucas as palavras que uso neste comentario porque ha coisas na minha cabeça que sao apenas de "ouvir" e depois calar.
abraço da leonoreta


De António a 1 de Abril de 2007 às 23:06
Obrigado, querida amiga!


Comentar post

Mais sobre mim
Março 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Posts recentes

"Eu sou louco!" no Sapo

Explicações no Ribeiro

Diplomacia no Rivungo

Excursão a Zamora

Na Kaiserstrasse

Miguel Ângelo (a casa de ...

Miguel Ângelo Pereira

No norte de Itália

No campo de trabalhos

Seis meses de vida

Fórmula 1 na Boavista

Um filme em Zurich

Uma turma difícil

O anúncio

Sonhos e realidade

Cena de caça no Bambangan...

Em Las Palmas

Lutador anti-fascista

O fármaco milagroso

Uma noite em Londres

Arquivos

Março 2007

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Outros blogs
Pesquisar neste blog
 
Visitantes

Free Hit Counter